Sobre amar

O que seria amar senão um sopro? Aquele ventinho gostoso que bate no cangote e faz arrepiar. Relacionar-se com alguém que entende a sua forma de enxergar a vida e, mesmo não concordando, aceita. Que segura sua mão, acaricia o seu rosto e te beija mesmo quando você esqueceu de pagar a conta de luz. Aquele com quem você conversa sobre a vontade de dominar o mundo ou que fica quietinha e, ainda assim, se sente completa. Cujo sorriso é seu maior presente e o abraço sua maior fortaleza. Que te olha apaixonado mesmo com seu mau humor matinal. Amar é deixar livre. Deixar ser. Aceitar e continuar. O amor é um carnaval… cheio de gargalhadas e ressacas! E é isso que o torna algo especial. Ele não é. Ele ‘está sendo’. É o rodopio de uma bailarina que gira leve em um pé só. Não é ímpar, é par e por isso precisa ser recíproco. Sem perder a ternura e a cumplicidade… sigam juntos, sigam soltos, sigam leve. O carnaval nunca acaba!!

O ‘Casaval’, mistura de casamento com carnaval, aconteceu em uma praça com direito à banda, estandarte, serpentinas e tudo mais. (Catraca Livre)

Anúncios

Nós dois

Queria ter lhe conhecido antes, muito antes… Para que nenhum de nós dois tivesse medos ou cicatrizes. Queria ter estado com você, quando seu coração descobriu o que era amor. Quando seu corpo descobriu o que era desejo. E antes que pudesse sofrer, eu estaria do seu lado, amando-lhe. entregando-me, e juntos poder ter aprendido, as lições da vida e do coração (…) Pena termos nos encontrado só agora, já com o coração viciado em outros amores, com uma imagem meio falsa, do que é felicidade, do que é entregar-se. Ah! como eu queria! Mas, não foi assim, te conheci agora. Na hora certa?, no momento certo? Eu não sei, só sei que te encontrei agora.

(Pagú)

Estou indo. Não, não se preocupe. Não importa quão longe eu esteja, permaneceremos ligados. Talvez você não saiba ou não tenha percebido, ainda, mas o que sinto é simples, sincero e único. Por isso não importa por quais rumos eu decida seguir… eu sempre estarei de volta.

um oi ao eco

Você vive dizendo que falo pouco sobre mim, que tenho medo de falar sobre sentimentos. Mas se pararmos pra observar um pouco, sou eu quem sempre falo – mesmo que desajeitadamente – de sentimentos com você. Você ouve, e até opina na maioria das vezes. Mas já percebeu como você nunca abre o seu coração? Isso me preocupa! Na verdade, cansa um pouco falar só a meu respeito. Daí, até eu (que nunca páro) me rendo e me entrego ao silêncio.

é, vou descansar.