Sobre amar

O que seria amar senão um sopro? Aquele ventinho gostoso que bate no cangote e faz arrepiar. Relacionar-se com alguém que entende a sua forma de enxergar a vida e, mesmo não concordando, aceita. Que segura sua mão, acaricia o seu rosto e te beija mesmo quando você esqueceu de pagar a conta de luz. Aquele com quem você conversa sobre a vontade de dominar o mundo ou que fica quietinha e, ainda assim, se sente completa. Cujo sorriso é seu maior presente e o abraço sua maior fortaleza. Que te olha apaixonado mesmo com seu mau humor matinal. Amar é deixar livre. Deixar ser. Aceitar e continuar. O amor é um carnaval… cheio de gargalhadas e ressacas! E é isso que o torna algo especial. Ele não é. Ele ‘está sendo’. É o rodopio de uma bailarina que gira leve em um pé só. Não é ímpar, é par e por isso precisa ser recíproco. Sem perder a ternura e a cumplicidade… sigam juntos, sigam soltos, sigam leve. O carnaval nunca acaba!!

O ‘Casaval’, mistura de casamento com carnaval, aconteceu em uma praça com direito à banda, estandarte, serpentinas e tudo mais. (Catraca Livre)

Anúncios