Sobre o mundo real.


(lonely silence – by: NerySoul)

Tentava adormecer, quando ouviu um barulho lá fora. Olhou para o relógio na cabeceia de sua cama, 4:50 da manhã! Aquela avenida, apesar de muito movimentada em horário de pico, costumava ser esquisita na madrugada: poucos carros, alguns postes se apagavam, quase ninguém na rua. Permanecia deitada ouvindo os ruídos em baixo de seu prédio, mas não resistiu, foi olhar. Empurrou delicadamente as cortinas brancas para o lado, abriu um pouco a janela e espiou. Lá em baixo, dois rapazes. Pareciam ser novos: 18, 19 anos no máximo! Mas carregavam na face, marcas de uma vida difícil, sofrida, suada. Estavam fuçando o lixo, procuravam tudo que fosse reaproveitado e que lhes rendesse algum trocado para que no final do mês tivessem o que comer.
A garota percebeu que um, tinha se cansado e desistido daquele lixo; caminhava mais a frete colocando toda sua força para subir a ladeira com aquele carrinho pesado, repleto de bugigangas que conseguiu madrugada à fora. O outro não; permanecia estacionado ao lado o lixeiro. Encontrara um caixote, caixa de papelão e uma sacola cheia de roupas – que ela reconheceu ter jogado fora. O rosto do menino parecia feliz, como se tivesse encontrado um tesouro. Ficou ali, tentando organizar dentro do seu carrinho, tudo aquilo que encontrara. Colocava de um lado, caía de outro. Puxava daqui, caía de lá. Mesmo assim, ele não desistiu. Amassou o que podia amassar, separou o que podia separar, pendurou o que podia pendurar e voltou a organizar seu tesouro.
Nesse momento, a garota voltou-se ao seu quarto. Olhou sua cortina, feita de tecido caro. Sua cama confortável, a decoração toda angelical, o armário cheio de roupas novas, sua coleção de livro, seu computador, sua vitrola, sua T.V., o vídeo game… Olhou novamente garoto e começou a chorar.
Chorou por pena, chorou por raiva, chorou por culpa, chorou por sentir-se incapaz de mudar a vida daquele menino. Sentiu nojo de seu país! Ficou imaginando a vida dele, as inúmeras coisas que abriu mão para estar ali: buscado o pão, para alimentar toda sua família. Que país é esse que não dá oportunidades para seus jovens. Que gasta bilhões para sediar uma Copa do Mundo, enquanto sua população está fora da escola, morre de fome ou vêem na criminalidade a única esperança de um futuro ‘promissor’.
Continuava chorando, calada, espiando pela janela, quando o garoto terminou de arrumar seu carrinho e, com dificuldade, começou a empurrá-lo ladeira acima. Nesse mesmo instante, ouviu a sirene da polícia. Uma viatura vinha a toda velocidade, parou quando viu o menino.
Desceram quatro e o abordaram de forma rude e violenta. Antes mesmo que o garoto pudesse fala qualquer coisa, foi jogado ao chão e obrigado a colocar às mãos sobre a cabeça. Um policial revistava o garoto que chorava; outros dois bagunçavam seu carrinho fingindo procurar algo suspeito. O quarto permaneceu imóvel, desceu apenas para fumar seu malboro vermelho. Enquanto isso, na outra esquina, Maria – que levantara cedo para pegar seu primeiro ônibus, já lotado, rumo ao trabalho – reage a um assalto e leva um tiro na barriga. Os policiais ouvem o disparo e saem sem pedir desculpas ao garoto. Chegam até a mulher que está estendida ao chão, mas é tarde demais pra ela. ‘mais uma Maria morta’ pensa o tenente. ‘Mais uma criança sem mãe’ pensa o visinho que acordara com o barulho.
A uma esquina dalí, o garoto volta a arrumar seu carrinho com dificuldades, derramando algumas lágrimas e várias gotas de suor. A menina, cansada daquilo, fecha a janela e a cortina, liga o ar condicionado, põem a vitrola pra funcionar, deita-se na cama confortável, fecha os olhos e tenta domir. “Amanhã será um novo dia”, ela sonha.

Anúncios

28 comentários sobre “Sobre o mundo real.

  1. Texto impressisonante o contraste de realidades, a polícia, a Maria no fim do texto .. tudo bem observado às 4 e pouca da manhã. Duro observar a realidade, só a literatura nos dá liberdade para expressar a culpa, a tristeza enfim…

  2. Eu definitivamente nunca vou me conformar com a minha pouca capacidade de fazer algo. Um país que entrega o petróleo como nós, entregamos com certezas muitos de nossos jovens a situações assim ou piores.

    -.-

    estamos entregando o pão de pessoas assim… aff… pessoas que só nascerão daqui a 200 anos… e tbm nos culparão como culpamos os que entregaram as nossas riquezas antes…

    para mim a maior corrupção é entregar o que é de todos nós para outros países que ficam cada vez mais ricos… e nós ficamos com o resto… aff…

  3. Amanhã nunca será um novo dia se não se fizer por onde. A história relatada é triste, mas nunca pode gerar mais do que tristeza – nunca pode gerar sentimento de passividade e de impotência. Toda forma de indignação deve ser canalizada numa postura ativa, como um sinal de que há algo pelo que se lutar. Precisamos ir além dos filmes e dos teatros, dos discursos e das frases de apoio na televisão. A gente vive num tempo onde de um lado surgem movimentos de libertação, e de outros vemos tendências ao arbítrio e ao fascismo. Às vezes eu penso que a única coisa que eu queria fazer era trancar-me num quarto e ignorar todas as movimentações caóticas desse mundo fétido, mas um pouco de racionalidade cai bem nessa hora, para que não nos esqueçamos de quem somos e do que somos responsáveis. O problema é que a razão é um recurso secundário nos dias atuais. As pessoas preferem observar as coisas com olhares irracionais e idealistas – mas o idealismo não muda o mundo, nunca mudou. É por isso que há tanta gente decepcionada por aí. E quem deixa de lutar por “decepção” é porque nunca esteve convencido da sua luta…….

    Beijos e até mais.

  4. Fernanda;
    ultimamente tenho chorado tanto, talvez por questoes não tão graves feito o garoto do carrinho.
    Mas vou te confessar choreu, feito a menina que olhava pela janela nos sentimos inuteis, diante da situaçoes do nosso pais, mas se paressemos de apenas olhar pela janela, e tomarmos uma atitude, podemos contribuir, o que não pode é ficarmos apenas olhando pela janela…
    ah! Fernandinha desista da trilha sonora não!! me diz o o erro que dá, que a gente dá um jeito.
    beijo grande !!
    ah! ia esquecendo grande texto.

  5. A realidade doí. E quando nos deparamos com cenas assim machuca.

    E eu nao gosto de lamentar tbm, prefiro chorar sozinha do que ficar mostrando pra todo mundo minah tristeza assim, brigada pelas palavras querida!

    Beijoos

  6. INSCRIÇÕES PARA BLOGAGEM COLETIVA ENCERRADAS

    Aviso sobre o sorteio do NOVO ORKUT:

    Acabamos de receber os convites do novo orkut e só vieram 5. Não sabemos se o orkut vai liberar mais convites, mas esperamos a compreensão de todos. Caso o orkut não libere até o dia da blogagem, o restante dos ganhadores irão receber um presente por sedex. Confiam no meu bom gosto? Infelizmente o orkut não nos deixou honrar os 10 convites, mas daremos 5 Bíblias Sagradas, já que estamos perto do natal. O sorteio vai ser pelo site Random. Os 5 primeiros serão ganhadores do convite do novo orkut.

    E depois faremos mais 5 sorteios que receberão via sedex o nosso carinho.

    ————-

    Aviso sobre a BLOGAGEM COLETIVA:

    Nós vamos colocar um sistema de votação onde todos os participantes serão incluídos. Não nos achamos no direito de escolher nenhum conto ou texto. Até porque todos nós, que amamos a palavra, sabemos que cada um tem sua magia. Então Jota Cê e eu vamos colocar do lado direito uma votação. Os 10 textos mais bem votados receberão o layout ou o scrapbooking digital que será feito pela Lelinha da Fábrica de Layouts.

    ————-

    Se eu pudesse, eu juro, daria um abraço com cheiro de Néctar da Flor, bem forte, em todos vocês…

    Beijos jogados no ar, sempre!

  7. duro é quendo se vê isso não as 4 da manhã, mas as 3 da tarde. pegou em cheio o cotidianode alguém que é protagonista deste mundo. me vi nele em relação ao marba vermelho. heheh

    arrepiou quando escreveu “uma criança sem mãe”

  8. tenho a ligeira impressão de que essa é uma historia real, com “narrador-personagem sendo um alter ego do autor”
    momentos de catarse que no final não mudam em nada a vida…
    Oi, dona Clarice

    🙂

    ps: como vai indo de vestibulares, garota?

  9. Uau! Que texto,eim?FABULOSO!
    Escrita linda,limpa…
    Que país é este que gasta bilhões na copa do mundo,mas com sua população naqui que realmente importa não gasta praticamente nada ? é o país do povo feliz,que adora fazer festa,que adora chorar pelo Ronaldo,que se orgulha de seu jeitinho…É este mesmo país que assiste da suas sala de tv os noticiasrios:”Sarney diz que não sai por nada!” e o povo respeita sua vontade!

    Parabéns,parabéns! grande cronista!

    estarei sempre aqui!

    http://www.johnrmulo.blogspot.com

  10. Fiquei decepcionada com o final…Sei que a garota nao podia fazer nada, ou até poderia descer para ajuda o rapaz a arrumar o carrinho, mas não…Foi insensível como a maioria das pessoas nesse país e em muitos outros, importou-se com a dificuldade alheia, mas não moveu um músculo para fazer alguma diferença, por menor que fosse.
    Para ela, realmente, um novo dia começaria quando acordasse e nada mais a preocuparia, talvez até tivesse esquecido do que vira. Porém, para aquele rapaz e milhares de outros como ele nao seria bem assim. Esse novo dia viria com muita luta, muito suor e até com muitas lágrimas sofridas.
    Tirando isso, ficou ótimo o texto!

  11. Olá Naty..
    Eu entendo, você. Também gostaria batante que ela não se acovardasse, que tivesse feito algo. Mas ela fez o que a maioria, faz: NADA.
    Quando escrevi, quis justamente retratar esse tipo de pessoas – que nada faz. O 'sonha', no caso, foi uma ironia! no sentido de que pra ela, tvz, o amanhã seja diferente, mas pra pessoas como o garoto, será exatamente igual!

    É trite.

    Beijinho.

  12. .Pratique a caridade sem ter em mente nenhuma concepção a respeito da caridade, porque caridade, apesar de tudo, não passa de uma palavra.

    Que sirva-se de consolo e ensinamento quem fica e quem lê, pelas singelas palavras deste verso no Sutra do Diamante (literatura budista)…….

  13. Acabei de chegar de viagem e Jota Cê ainda está voando, chega só à noite. Estou com tanta saudade de vocês, acreditam? Esse carinho pelas palavras faz uma falta, mas sei que vocês sabem que essa ausência foi por uma boa causa. Amanhã é nossa blogagem coletiva e vou esclarecer o método para alguns que não entenderam:

    1- Todos os participantes vão ter que postar o seu conto/texto no seu blog com o selo da postagem.
    2- Só vai participar do sorteio do orkut e das bíblias quem participou da blogagem
    3- O sorteio do orkut vai ser pelo randon e vou dar um jeito pra ser filmado no dia 25/11
    4- A votação da blogagem começa no dia 25/11 e todos os participantes irão concorrer.

    Agora vou ver se durmo um pouco… tô numa saudade que nem sei… a distância maltrata, mas o amor acarinha com aquele dengo danado de bom.

    Beijos jogados no ar, sempre!

    Rebeca

deixe um rabiiisco seu

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s