sobre um ano novo

[A versão dele]

Era chagado o momento, faltava pouco. Cheguei de viagem, fui direto ao hotel que me indicaram. Era bonito, na orla, aproximei da recepcionista e me identifiquei. Deu-me as boas vindas e tentou puxar assunto, preferi não dá bola, estava louco para sair logo dalí. Precisava de um banho, que cidade quente! Preenchi alguns papéis e recebi a chave. Quarto 121, vamos lá. Entrei e nem reparei que o quarto era mesmo confortável, joguei as malas em um canto, liguei o ar condicionado e fui direto ao banheiro. Tomei um banho gelado! Escolhi um jeans e a primeira blusa que encontrei. Olhei-me no espelho, senti vontade de fazer a barba, desisti. Perderia tempo. Preferir ligar logo pra Júlia. Disse que cheguei, me perguntou da viagem, fiz mistério e pedi que fosse me ver, ela aceitou. Em algumas horas, Júlia entraria por aquela porta e só Deus pra saber o que aconteceria depois.
Estava ansioso! Vim de longe com a desculpa de passar as férias no litoral, os amigos sabem que odeio praia, eu também sei, mas não ligo. Afinal, meu motivo era outro, vim aqui para vê-la. Somente vê-la. Isso me bastava e fazia valer todo o cansaço da viagem.
Estava nervoso, tragando meu terceiro cigarro à sua espera. Olhei o relógio, parecia não andar. Liguei e desliguei a TV, abri um livro, a geladeira, uma cerveja, fui pra varanda e olhei o mar… Pude entender o motivo dela falar tão bem daquele mar, era lindo! A maré estava baixa, o céu estava limpo e ventava docemente. Peguei um caderno, um lápis e meu violão. Comecei dedilhar a canção que me faria lembrar aquele momento. O telefone toca, é da recepção, peço que a deixem subir.
Abro a porta e lá estava Júlia: uma blusinha folgada, com os ombros à mostra; um short que já foi calça, uma sandália, um brinco discreto e o cabelo solto, bem como imaginei. Por Deus, ela estava linda!
Pedi que entrasse.
– Quer alguma coisa? Uma cerveja, um refrigerante ou talvez uma água….
Essa foi a coisa mais inteligente que consegui falar. Senti vergonha, mas já era tarde para tentar consertar. Ela me encarou – achei incrível – abriu um sorriso e respondeu:
– Na verdade, estou sem sede. Obrigada! Mas se tiver um abraço, eu aceito!
Foi o suficiente para quebrar o gelo e o nervosismo que se instalou em mim, no momento em que a vi. Depois do abraço, tudo se normalizou. Parecíamos amigos de longa data outra vez. Era incrível, me sentia totalmente bem na companhia dela. O assunto fluía e ríamos sem parar. Proseamos sobre tanta coisa: sua faculdade, a música que ouviu antes de sair de casa, as pessoas chatas que conheci no aeroporto, a primeira impressão que tive ao chegar em sua cidade, até encarou uma corversa sobre o coringão. Entre um assunto e outro, enquanto ela falava, eu observava seus detalhes… Achava divertida a forma como mexia os braços e fazia sons engraçados para dar animação ao que contava. O sotaque era engraçado, mas sua boca extremamente provocante. Reparei também na forma, discreta, dela desviar o olhar e em como ficava sensual quando com vergonha. Desejava desesperadamente descobrir o que ela estava pensando, ouvir as palavras que ela mantinha guardadas dentro de si. Seus olhos castanhos eram puro mistério, me envolvia, me prendia, me sugava. Em vários momentos senti vontade de interrompê-la com um beijo, estava sendo difícil resisti àqueles lábios vermelhos, mas me contive. Não tive coragem a ponto de arriscar deixá-la constrangida ou arrependida de ter aceitado o convite.
Continuamos ali: sentados, comendo, bebendo e jogando conversa fora. Quando o sol começou a sumir, fomos pra varanda… Peguei o violão e voltei a dedilhar a canção que nos faria lembrar aquele momento. Ela ficou parada me olhando. Olhei pra ela também. E o mundo ficou pequeno naquele momento; éramos apenas: o pôr-do-sol, a melodia e nossos olhares se encontrando. Desejei que aquela sensação fosse infinita e que minha voz se calasse em sua boca. Ela pegou a bolsa – pensei que fosse embora – e de dentro dela, tirou uma caixa.
– Tenho algo pra te dar.
Ao ouvir isso, larguei o violão.
– O que é!? Perguntei curioso
– Isso é segredo! Vou te entregar hoje, mas você precisa me prometer que só abrirá daqui a alguns dias. Na véspera de ano novo, às 20 horas. Promete!?
– Prometo!
Depois que disse isso, ela me beijou a face e disse que precisava ir embora. Era tarde. Desejei não ter ouvido aquilo, queria aproveitar a madrugada em sua companhia, mas não ousei contestar. Tentei dizer algo, o que sentia no momento, mas não encontrei palavras para explicar. Apenas a abracei longamente. Senti seu perfume, me entorpeci. Olhou pra mim, sorriu e caminhou pelo corredor. Fiquei da porta observando seus passos. Enquanto esperava o elevador, mexeu a boca: “Adoro você”, eu entendi. Segundos depois, ainda olhando me olhando, entrou no elevador e foi embora. Fiquei triste. Senti saudades. Olhei a caixa, fiquei curioso, quis abrir. Decidi que não! Aquela seria a primeira promessa que iria cumprir. Peguei o violão, dei um trago,e voltei a dedilhar aquela canção. Fechei os olhos, encostei a cabeça, me droguei com a lembrança do seu cheiro e projetei na mente tudo aquilo que não arrisquei fazer.

Continua…

leia: VERSÃO DELA,
(por MarceloMayer)

Anúncios

36 comentários sobre “sobre um ano novo

  1. booooooooooooom, quero uma júlia em minha vida… quero amanhecer e adormecer pensando nela… sinto uma vontade constante de mandar rosas, e daí minha júlia estás a me esperar…

    beijos fee
    adoro tanto você

  2. Fernandinha,

    Seu texto fala em mar, fala em violão, fala em cigarro e voltei no tempo e me vi com Jota Cê na nossa última viagem. Você escreve bem pra caramba, menina linda. E já perdoei, viu? Ele pedindo desculpa é tão lindo, tão lindo… não tem como não cair logo nos braços da paz.

    Beijo imenso, menina que adoro.

    Rebeca

  3. Olha só, se vc quiser posso te passar umas coisas de desenho pra praticar. Desenho é só pratica e vontade tb. ALias, mais vontade do q pratica, pq o desenho nao se constroi na mão e sim na cabeça.

    Gostei dos textos, voltarei.

    Dica pro vestibular: desencana que voce passa.

  4. Oi Fernanda!!
    como vc está ?
    estou meio que ausente, mas espero que seja passageiro…
    Então tbm tenho essa mesma impressao quando leio Caio.
    sobre as músicas no post vc coloca o codigo lá onde tem assim editar html, quando vc vai postar…qualquer duvida é só falar.
    beijo grande

  5. Fernanda, você é muito jovem mas parece bela e madura. Intensa também e escreve bem prá raio.
    Interessante que assim como escreve belos textos, lê e comenta muito bem.
    Sempre que leio seus comentários me lembro de tua idade e parece que és bem mais que um 'rostinho bonito'.

    (risos)
    Volto prá ler a continuação mas judiação não contar tudo.
    O mundo moderno e a ansiedade, né?

    Beijos e bom final de semana.

  6. Esse diálogo com o Marcelo ficou muito bacana, e como todo ser curioso, a 1ª coisa que fiz após lê-lo e digeri-lo, foi vir aqui, e saio maravilhada com a sintonia dos dois escritores, obviamente cada um com a sua verve, com as suas inferências e referências. Parabéns, ficou lindo!!!

    😉

  7. BOM DIA.
    Em primeiro lugar gostaria de agradecer o carinho de suas palavras para com o meu trabalho, trabalho este que faço com muito carinho e dedicação para vocês, embora muitos e muitos problemas estejam por trás. O seu cantinho também é genial, adorei.
    Contar histórias é um exercício fantástico, eu faço isso naturalmente. Na verdade todos nós temos um pouco de contador…
    Bem, hoje a minha história para vocês é de DOM SEBASTIÃO – uma das minhas preferidas, espero que aprecie.
    Volte outras vezes,
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER… terá sempre uma história para contar.
    Beijo grande.
    Que a PAZ e o BEM esteja sempre com você.
    Saudações Florestais !

  8. Fernanda, acabei de responder a versão dela no blog do Marcelo, foi uma coincidência incrível eu vir aqui no seu blog bem agora.

    Muito bom isso. Ultimamente tenho ficado surpreso com o que vejo nos blogs que sigo.

    Beijo

  9. Nossa, perfeito.
    Já li a ver~são dela e estou encantada. Quanta sensibilidade!!
    Este ar boêmio e melancólico é um convite ao amor.
    Lindo…

    **Primeira vez te visitando e adorando.

    Bjs
    Até Mais
    ^^

  10. já disse para macelo o quanto achei genial! linda! vc é linda! pegou direitinho a timidez masculinas ao se encontrar com o nosso desejo!
    agora, cuidado com o marcelo. hihi
    ele é encantador pessoalmente. cuidado com que tem na caixa, hein?

    adorei seu blog, lindo!!!

  11. Maaaaaaaais!!! tem mais? porque eu quero!!!
    delícia ler esse embalo -junção-sintonia de vocês dois!!

    MINHA ESCRITORA FAVORITA!!

    não é novidade que eu amo o que vc escreve, né?

    Beijos.

  12. juro que não tive tempo para lê com dedicação exclusiva.. mas o fim de semana chega, e dedicarei aos meus novos parceiros de jornada.. eu to adorando isso aqui.
    agradeço sua visita.
    eu vim mesmo so pah dizer que li e fiquei muito feliz da sua presença no meu pseudo blog.
    fica com a luz.
    eu volto..
    di

  13. Muito legal a parada de trocar de personas. O marcelo sendo ela e a Fernanda sendo ele nas interpretações. O que é o presentinho? Fiquei na curiosidade de saber!
    PALPITE: acho que na caixinha tem uma palheta que ele sempre quis desde a época que eles se conheciam nas antigas, qdo ele tava aprendendo a tocar violão, mas não teve como adquirir, ela adquiriu pra ele e na virada do ano ela vai voltar pra ele tocar a música dela, só pra ela…
    rsrs

  14. Néctar da Flor faz a primeira Blogagem Coletiva onde o tema é: Um conto de amor com cheiro de Néctar da Flor. É com muita felicidade que convidamos todos a conhecer um mundo encantado que há dentro de cada um. Conte um conto, seja personagem da sua história e sinta cada palavra escrita na hora que for contar.

    As 10 melhores postagens com o tema levarão um layout personalizado ou uma página de scrapbooking digital. O restante das informações já estão incluídas na imagem acima e a inscrição já está aberta.

    Basta colocar nessa postagem o seu nome, o nome do blog que irá concorrer e o email.

    Faça parte dessa festa… que festa?

    Aquela que se fantasia com emoção…

    … VEM?

    Obs: Quem for participar tem que levar esse selo abaixo e deixar visível para todos verem.

deixe um rabiiisco seu

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s